O frio de Harbin.

Para comemorar o aniversário do Breno que foi dia 24 de janeiro, fomos conhecer Harbin. A décima cidade mais populosa da China é conhecida principalmente pelo inverno: super frio e cheio de festivais!
Harbin é uma cidade diferenciada da China pois ainda vive sob uma forte influência da Rússia que a ocupou no começo do século XX.

Breno em frente à Igreja com arquitetura Russa.

Breno em frente à Igreja com arquitetura Russa.


Mas o principal atrativo da cidade é o Festival Internacional de Esculturas no Gelo e Neve de Harbin, que acontece todo janeiro desde 1985. Aquele festival que passa todo ano no Jornal Hoje e no Fantástico, sabe?
Pois é. A parte das esculturas de neve é melhor de se ver durante o dia. Já a parte do gelo é melhor de se ver à noite. Então fomos lá.
Pegamos -37 °C (isso mesmo! trinta e sete graus celsius NEGATIVOS!!!) e – mesmo com roupas especiais para o super frio – as mãos, os pés e o nariz parecem que congelaram. Por isso a recomendação é: não ficar exposto ao frio por mais de uma hora. A cidade é toda preparada com lugares quentinhos pra você entrar, se aquecer e tomar um café.
Chegando no Festival de Gelo.

Chegando no Festival de Gelo.


Smurfette pula-pula.

Smurfette pula-pula.


Em frente à escultura principal do festival.

Em frente à escultura principal do festival.


Escorregador de gelo. Pensa o frio!

Escorregador de gelo. Pensa o frio!


Isso é que é neve. O resto é resto.

Isso é que é neve. O resto é resto.


Como em todo lugar do mundo, as pessoas querem explorar o máximo possível. Então até os animais sofrem com o frio. Por alguns trocados, você pode tirar fotos com uma raposa branca. Mas como estava tendo uns fogos de artifício e elas pareciam meio assustada, fiquei insegura de pegar uma no colo. E só tirei foto de longe mesmo.
Raposa branca maaais linda!

Raposa branca maaais linda!


E na hora do jantar? Nada de ir pra rua! Então eu e a Fernanda fomos pro quarto quentinho e o Breno e o Guilherme saíram pra comprar comida.
Piquenique no quarto do hotel.

Piquenique no quarto do hotel.

No dia seguinte, mais frio. Fomos ver as esculturas de neve. Para chegar no parque onde ficam as esculturas, é preciso passar por uma ponte que tem um rio bem largo. Mas… Cadê o rio?

Lago congelado é para os fracos.

Lago congelado é para os fracos.

As esculturas de neve são lindas e inacreditáveis. Não tem como não ficar pensando nos artistas que tiveram que ficar ali no frio para fazer aquelas obras de arte gigantescas. E elas são gigantes mesmo!

Homenagem aos desenhos Disney e Pixar!

Homenagem aos desenhos Disney e Pixar!


Para celebrar 2011, o ano do coelho.

Para celebrar 2011, o ano do coelho.


Tem até uma cafeteria feita de neve.
Café de neve.

Café de neve.


E também tem bichinhos, lógico.
Eu e meu amigo veadinho do frio.

Eu e meu amigo veadinho do frio.


É muita neve!

É muita neve!


Pela localização, Harbin fica sob influência direta dos ventos frios hibernais da Sibéria. Sendo assim, é o lugar perfeito para ter um parque de tigres-siberianos, né?
Tá com soninho, tá?

Tá com soninho, tá?


Lá também é possível ver o raro tigre-de-bengala branco.
Loiro, alto e de olhos azuis.

Loiro, alto e de olhos azuis.


Nesse parque tem uma outra espécie super rara: o ligre. Reza a lenda que só tem 10 desses bichos espalhados pelo mundo. O Ligre é uma mistura de um leão com uma tigresa e só ocorre quando há intervenção humana. Os hábitos e territórios das duas espécies não são os mesmos, então não tem como esse mix ocorrer de forma natural.
Peço desculpa pela foto mas a emoção, o frio e a bateria da câmera acabando não permitiram eu tirar outra foto melhor.
Ligre = leão + tigresa.

Ligre = leão + tigresa.


Então é isso. Harbin é super legal. Não é lindo (aliás, só as partes do festival de gelo e neve que são lindas), mas super vale a pena a visita.
Quer passar frio? Vá pra Harbin!

Anúncios
Published in: on 09/04/2011 at 23:20  Comments (5)  
Tags: , , , , , ,