Veneza

Eis que fomos para Veneza. E não, não é Nova Veneza. É Veneza mesmo. Tipo, na Itália. Sabe?
Pois então. Depois de um mês sem atualizar o blog, meio que por falta total de paciência com a internet chinesa e meio que ocupada com outras coisitas mais, esse post encerra a viagem que fizemos para a Itália em outubro. É… Eu sei que tô meio atrasada. Mas só pode me julgar quem tiver que viver lidando com o grande firewall chinês.

Mas vamos à Veneza. A cidade é linda! E eu já tinha ouvido todo tipo de coisa, como que lá é fedido, cheio de ratos e blábláblá. Mas isso acho que ouvi de pessoas que nunca estiveram de fato em Veneza. Ou foram na época errada…!

Pelas "ruas" de Veneza...

Pelas "ruas" de Veneza...


Veneza é uma cidade pequena e pode facilmente ser desbravada em um único dia (isso se estiver com disposição para andar, já que lá não tem carros!).
Os pontos altos do turismo se resumem em poucas, mas inesquecíveis, situações.
Uma delas é conhecer a Basílica de São Marcos.
A base atual do prédio foi feita no ano de 1063. E ela está em constante restauração, pois é um dos pontos em risco de afundar. Aliás, quando entramos nela, tinha uma área que não podia ser visitada pois estava alagada. Mas isso não tirou a beleza do lugar.
Basílica de São Marcos

Basílica de São Marcos


Interior da Basílica

Interior da Basílica


Outro detalhe interessante é que você pode estar andando no meio da praça lotada e olhar para o lado e visualizar um transatlântico passando ali, como se fosse a coisa mais normal do mundo!
Detalhes de Veneza...

Detalhes de Veneza...


Até mesmo quando a gente se dá conta que passou o dia inteiro e não vimos um carro sequer. E damos de cara com um ponto de táxi em frente a Ponte de Rialto!
Ponte de Rialto

Ponte de Rialto


Outro passeio mega importante é a gôndola, né? Não é das coisas mais baratas não (entre €80 e €120), mas já pensou falar que foi em Veneza e não andou de gôndola? Isso não existe!
Só faltou o gondoleiro cantar ópera!

Só faltou o gondoleiro cantar ópera!


Até caipirinha feita com 51 é possível achar nas ruas charmosas dessa cidade linda!
No mais, queria agradecer ao cunhado/guia turístico – Guilherme “Codorna” – sem o qual essa viagem não poderia ter sido tão legal quanto foi! Ti amú!
Breno e o Guia Calucucú.

Breno e o Guia Calucucú.

E assim acabou a viagem para a Itália. Só não prometo que semana que vem faço post novo com Pequim, Paris, Harbin ou o Brasil-sil-sil porque estamos indo passar o Ano Novo Chinês em Bali!

Anúncios
Published in: on 26/01/2011 at 22:50  Comments (4)  
Tags: , , , ,

Roma, A Cidade Eterna.

Enfim, chegamos em Roma. E, apesar de Milão ser a cidade da moda, eu me apaixonei de verdade foi por Roma. Tudo lá é lindo, grandioso e maravilhoso!
O primeiro lugar que fomos foi a Fontana di Trevi. Depois de assistir ao filme Elsa e Fred e relembrar o La Dolce Vita era um dos lugares que eu mais queria conhecer! E acho que foi um dos meus lugares favoritos de Roma…

Fontana di Trevi

Fontana di Trevi


Romance na Fontana di Trevi

Romance na Fontana di Trevi


Depois seguimos para o Coliseu.
Tudo o que eu conseguia pensar ao olhar para o Coliseu era “como eles contruíram isso em 68 d.C. sem equipamentos?”. É uma contrução gigantesca e maravilhosa.
Coliseu de Roma

Coliseu de Roma


Parte interna do Coliseu.

Parte interna do Coliseu.


Ao lado do Coliseu fica o Arco de Constantino.
Arco de Constantino e Coliseu.

Arco de Constantino e Coliseu.


E, ao lado dessas duas contruções maravilhosas, está o Foro Romano, o principal centro comercial da Roma Imperial.
Foro Romano

Foro Romano


Ainda no mesmo dia fomos visitar o Monumento a Vittorio Emanuele II, localizado na Piazza Venezia.
Monumento a Vittorio Emanuele II.

Monumento a Vittorio Emanuele II.


Saíndo de lá, fomos ao Pantheon, que infelizmente estava em reforma (mas isso não tirou a beleza do lugar).
Frente do Panteão.

Frente do Panteão.

No dia seguinte fomos conhecer um dos lugares mais lindos do mundo: O Vaticano.
Depois de um bom tempo de fila, um chuvisco chato e ter que pagar 5 euros num guarda-chuva chinês que compraria por 1 yuan, conseguimos entrar. E tudo valeu a pena.

Pelos corredores do Vaticano.

Pelos corredores do Vaticano.


E quando eu falo que tudo vale a pena, eu digo tudo mesmo. Porque se teve uma coisa que me fez chorar foi a hora que eu entrei na Capela Sistina.
Nunca achei que eu fosse ser esse tipo de pessoa, sabe? Que se emociona profundamente ao ver uma obra de arte. Mas após tantos anos estudando História da Arte e olhando fotos e mais fotos da Capela, nada se comparou ao fato de estar lá ao vivo. É uma perfeição sem tamanho. Tudo bem que eu fiquei super incomodada com os guardinhas sem educação que ficam lá dentro, gritando o tempo inteiro que não pode tirar foto nem filmar – já que é um lugar sagrado e tals. Mas como eles não respeitavam a regra do “silêncio” no lugar sagrado, a gente também não tem como respeitar muito a regra do “no photo”, né?
Vigiando pra ver se o guarda não vem...!

Vigiando pra ver se o guarda não vem...!


E, como não podia faltar, tem também foto da Criação de Adão.
Criação de Adão

Criação de Adão


De lá fomos conhecer a Basílica de São Pedro, que fica na Piazza San Pietro.
Basilica di San Pietro

Basilica di San Pietro


E lá dentro, mais maravilhas para os olhos. A Basílica é a casa de La Pietà, de Michelangelo. É a única obra de arte que a gente não consegue chegar muito perto (as outras estátuas ficam, literalmente, ao alcance das mãos). Mas isso acontece por causa de um atentado sofrido pela estátua em 1972 – e causou também a “aparição” de um vidro a prova de balas entre o público e a escultura.
La Pietà.

La Pietà.


Tem uma parte da Basílica que só pode entrar se for rezar, participar de missa ou confessar. Como não tava rolando uma missa, eu já tinha rezado em várias outras igrejas no dia anterior e fazia tempo que não me confessava, aproveitei um padre que falava espanhol e tava por ali e fui bater um papo com ele.
Gente phyna confessa é no Vaticano.

Gente phyna confessa é no Vaticano.


Basílica de San Pietro no por-do-sol.

Basílica de San Pietro no por-do-sol.


Fomos ainda no Castelo de Santo Ângelo e ao Tribunal de Justiça Romano.
Castel Sant' Angelo

Castel Sant' Angelo


Piazza dei Tribunali

Piazza dei Tribunali

No terceiro dia visitamos a Piazza di Spagna, lugar onde se concentra as lojas de designers importantes e turistas. E onde fica a Trinità dei Monti, uma das igrejas mais deslumbrantes de Roma.

Trinità dei Monti.

Trinità dei Monti.


De lá, fomos à Piazza della Repubblica, onde fica a Basílica Santa Maria degli Angeli e dei Martiri.
Piazza della Repubblica

Piazza della Repubblica


Fachada da Basílica Santa Maria degli Angeli e dei Martiri.

Fachada da Basílica Santa Maria degli Angeli e dei Martiri.


Essa igreja é fenomenal e tem vários detalhes interessantes que vou deixar para mostrar as fotos no flickr, já que esse post já está gigante. Só vou colocar aqui o “detalhe” do órgão dessa igreja. Gigante como o post.
Detalhezinho.

Detalhezinho.


A última atração foi a igreja de San Pietro in Vincoli. Do lado de fora, a gente não dá nada pela construção. Parece uma igreja meio nada, sabe? Tipo, uma capelinha só e olha lá…
Mas aí você entra e a igreja é toda linda e toda cheia de esculturas maravilhosas. Inclusive é lá que fica o túmulo do Papa Júlio II, feito por Michelangelo. Pois é. Em Roma é assim: você chega em uma contrução pela qual não se dá nada e lá dentro tem uma mega escultura feita por Michelangelo. Incrível!
Mausoléu de Júlio II.

Mausoléu de Júlio II.

E é isso. Ficamos 3 dias em Roma. Isso não é nada se você for pensar o tanto de coisa maravilhosa que tem lá pra se ver. Por isso o tanto de foto no post. Que não é nem metade das fotos que eu queria mostrar. Por isso coloquei todas no orkut, no facebook e no flickr.

Published in: on 06/12/2010 at 22:37  Comments (4)  
Tags: , , , , , , ,

Ah… Milão!

Continuando o desvio feito à Itália no começo do mês de outubro e congelado por conta da falta de computador e problemas com a internet na China, chegamos em Milão!
E quer lugar melhor pra chegar em Milão do que a Estação Central?

Stazione di Milano Centrale

Stazione di Milano Centrale


Depois fomos visitar o Duomo, que fica na praça central da cidade e é a construção em estilo gótico mais linda que já vi!
Eu e Breno em frente ao Duomo di Milano.

Eu e Breno em frente ao Duomo di Milano.


Breno e Guilherme em frente ao Duomo.

Breno e Guilherme em frente ao Duomo.


Mas mesmo com toda a beleza no lado exterior, o que mais gostei foi o interior da construção. O contraste da abóboda com o vitral
é deslumbrante… E as obras de arte lá dentro são de tirar o fôlego!
A nave da catedral.

A nave da catedral.


Lógico que, como estávamos lá mesmo, fui dar uma volta na Galleria Vittorio Emanuele II – também conhecida como o lugar que deu origem aos shopping centers como conhecemos hoje (só que beeem mais chique)!
Eu e Guilherme no centro da Galleria Vittorio Emanuele II.

Eu e Guilherme no centro da Galleria Vittorio Emanuele II.


E, ali, passando o Duomo e atravessando a galeria, fica o Teatro Alla Scala. Que, infelizmente, não tinha espetáculo nos dias que a gente ficou na cidade.
Teatro Alla Scala

Teatro Alla Scala

Ainda no mesmo dia fomos ao Castello Sforzesco, que após anos abrigando duques e até Napoleão foi transformado em museu.

Breno e eu em frente ao Castello Sforzesco.

Breno e eu em frente ao Castello Sforzesco.


Fato legal: no dia em que fomos conhecer o castelo estava tendo um discurso do Berlusconi pelo Partido Força Itália.
Fato suuuper legal: é nesse museu que fica a escultura inacabada de Michelangelo, a Pietà Rondanini.
Pietà Rondanini di Michelangelo.

Pietà Rondanini di Michelangelo.


E é lá que fica também um quadro de Francesco Galli, Madonna con Bambino.
Madonna con Bambino, 1495.

Madonna con Bambino, 1495.


E na parte de trás do quadro tem uma surpresinha: um recado de ninguém mais ninguém menos que Leonardo da Vinci.
Leonardo da Vinci, 1515.

Leonardo da Vinci, 1515.

E por último, mas não menos importante, está a felicidade do Breno: o Estádio San Siro – casa do Internazionale e do Milan (e no dia estava tendo jogo desses dois times, mas não tinha mais ingresso).

Breno no Estádio San Siro.

Breno no Estádio San Siro.

P.S.: E graças as dicas encontradas no Blog da Fê Matsu, conheci outlets maravilhosos em Milão. Quem for visitar a cidade vale a pena passar lá e imprimir a lista!

Published in: on 22/11/2010 at 22:46  Comments (1)  
Tags: , , , , ,

Desvio para Turim

Pois é. Primeira semana de outubro teve um feriado de dez (10) dias aqui na China (e tem gente que acha que chinês trabalha sem parar! pffff!) e nós aproveitamos e fugimos para a Itália para matar saudade do Cunhado!!!
Super viagem – de carro: Deyang/Chengdu, avião: Chengdu/Pequim Pequim/Bruxelas Bruxelas/Milão, ônibus: Milão/Turim. E enfim chegamos!
Explicando: o irmão do Breno, Guilherme (vulgo Cunhado ou Codorna) estuda em Turim – faz mestrado no Instituto Politécnico de Turim. Como provavelmente ele não vai poder ir passar o Natal no Brasil, fugimos e fomos usar e abusar dele pra conhecer um pouco da Itália e matar a saudade!

Intituto Politécnico de Turim

Intituto Politécnico de Turim


E lá é lindo… Tudo é lindo na Itália. Os lugares, as comidas, as roupas, as pessoas… E o choque que foi sair da China e chegar lá? Nossa… Em todos os sentidos: as comidas, as roupas, as pessoas…!
A única diferença bizarra (onde a China ganha) é a educação das pessoas. Por mais que aqui eles cuspam no chão, fumem onde for… Eles são super sociáveis e prestativos. Qualquer loja que você entra, escuta um 欢迎 (leia: huānyíng – bem vindo). Já na Itália, qualquer loja que você entra tem que torcer para alguém reparar em você para ser atendido!
Mas tudo bem.
Voltamos às belezas! Chegando lá fomos conhecer a faculdade do Codorna (foto acima) e almoçar suuuper bem com uma cerveja e um vinho de acompanhamento, lógico!
Delícia!

Delícia!


Ninguém tem idéia do alívio que é poder sair para almoçar em um lugar gostoso depois de quase oito meses saíndo de casa só pra comer McDonald’s!!!
Mas então. Passamos o dia conhecendo as maravilhas da cidade.
Tem uma fonte linda na cidade, chamada Fontana del Ceppi que representa os meses do ano. A fonte é cercada por 12 estátuas, uma de cada mês.
Fontana del Ceppi

Fontana del Ceppi


Close no mês de março!

Close no mês de março!


Fomos a uma vila medieval, que foi construída para a Exposição Internacional de 1884 e é mantida até hoje com várias lojinhas com espadas e roupas medievais.
Castelo da Vila Medieval

Castelo da Vila Medieval


Visitamos também o Parco Del Valentino, onde fica o Castello del Valentino.
O Castelo tem suas origens em 1500 (da idade do Brasil) e foi durante muito tempo a moradia da Corte Real e hoje é considerado Partrimônio da Humanidade pela Unesco.
Castello del Valentino

Castello del Valentino


E, como não podia faltar para o Breno, fomos visitar o Estádio Olímpico de Turim, casa do Juventus FC e do Torino FC. E com sorte, tava tendo jogo no dia!
Estádio Olímpico de Turim

Estádio Olímpico de Turim


Visitamos também a praça principal do centro da cidade e um monumento em homenagem à Vítor Emanuel II, primeiro rei da Itália após a unificação – nascido em Turim.
Praça central de Turim

Praça central de Turim


Aqui nasceu Vítor Emanuel II

Aqui nasceu Vítor Emanuel II


E, não importa quão frio estivesse, todos os dias tomávamos gelato! Pessoalmente, acho que é a melhor coisa que a Itália fez para a humanidade!!!
Escolher o sabor é difícil, viu? São tantos!

Escolher o sabor é difícil, viu? São tantos!


E para completar o desvio pela Itália, ainda temos post sobre Milão, Roma e Veneza!

Published in: on 01/11/2010 at 16:15  Comments (2)  
Tags: , , ,