Ah… Milão!

Continuando o desvio feito à Itália no começo do mês de outubro e congelado por conta da falta de computador e problemas com a internet na China, chegamos em Milão!
E quer lugar melhor pra chegar em Milão do que a Estação Central?

Stazione di Milano Centrale

Stazione di Milano Centrale


Depois fomos visitar o Duomo, que fica na praça central da cidade e é a construção em estilo gótico mais linda que já vi!
Eu e Breno em frente ao Duomo di Milano.

Eu e Breno em frente ao Duomo di Milano.


Breno e Guilherme em frente ao Duomo.

Breno e Guilherme em frente ao Duomo.


Mas mesmo com toda a beleza no lado exterior, o que mais gostei foi o interior da construção. O contraste da abóboda com o vitral
é deslumbrante… E as obras de arte lá dentro são de tirar o fôlego!
A nave da catedral.

A nave da catedral.


Lógico que, como estávamos lá mesmo, fui dar uma volta na Galleria Vittorio Emanuele II – também conhecida como o lugar que deu origem aos shopping centers como conhecemos hoje (só que beeem mais chique)!
Eu e Guilherme no centro da Galleria Vittorio Emanuele II.

Eu e Guilherme no centro da Galleria Vittorio Emanuele II.


E, ali, passando o Duomo e atravessando a galeria, fica o Teatro Alla Scala. Que, infelizmente, não tinha espetáculo nos dias que a gente ficou na cidade.
Teatro Alla Scala

Teatro Alla Scala

Ainda no mesmo dia fomos ao Castello Sforzesco, que após anos abrigando duques e até Napoleão foi transformado em museu.

Breno e eu em frente ao Castello Sforzesco.

Breno e eu em frente ao Castello Sforzesco.


Fato legal: no dia em que fomos conhecer o castelo estava tendo um discurso do Berlusconi pelo Partido Força Itália.
Fato suuuper legal: é nesse museu que fica a escultura inacabada de Michelangelo, a Pietà Rondanini.
Pietà Rondanini di Michelangelo.

Pietà Rondanini di Michelangelo.


E é lá que fica também um quadro de Francesco Galli, Madonna con Bambino.
Madonna con Bambino, 1495.

Madonna con Bambino, 1495.


E na parte de trás do quadro tem uma surpresinha: um recado de ninguém mais ninguém menos que Leonardo da Vinci.
Leonardo da Vinci, 1515.

Leonardo da Vinci, 1515.

E por último, mas não menos importante, está a felicidade do Breno: o Estádio San Siro – casa do Internazionale e do Milan (e no dia estava tendo jogo desses dois times, mas não tinha mais ingresso).

Breno no Estádio San Siro.

Breno no Estádio San Siro.

P.S.: E graças as dicas encontradas no Blog da Fê Matsu, conheci outlets maravilhosos em Milão. Quem for visitar a cidade vale a pena passar lá e imprimir a lista!

Anúncios
Published in: on 22/11/2010 at 22:46  Comments (1)  
Tags: , , , , ,

A Grande Muralha

Grande Muralha

Todo mundo feliiiz antes da escalada!


Finalmente chegamos à Grande Muralha. Que, diga-se de passagem, é grande mesmo. Gigante e linda. E já fui lá e não volto mais! Brincadeira… Mas é que escalar a Muralha uma vez na vida é o suficiente, acho que não preciso fazer de novo.

Mas como disse o Mao: “aquele que nunca escalou a Grande Muralha não é um homem de verdade”.

Amigo Mao

Olha... Agora sou um homem!


Existem vários pontos onde se pode escalar a Muralha. A seção mais famosa – e mais próxima de Beijing – é Badaling, abarrotado de turistas como se esperaria de uma das sete maravilhas do mundo moderno. E foi para lá que nós fomos.
Fomos ao Hotel Mercure que oferece o serviço de guias turísticos para a Grande Muralha – como lá é longe, compensa pagar o pacote com guia pela carona de ida e volta, o ingresso e ainda tem um almocinho nojento de brinde!
Mas então, pensa um lugar grande. Pensa um lugar alto. Pensa um lugar cansativo. É a Grande Muralha da China. Chegando lá, despachamos a guia com uma americana que estava com a excursão e seguimos nosso caminho. Combinamos um horário de encontrar e deixamos elas para trás (lógico que atrasamos no horário de volta, mas elas também atrasaram então deu tudo certo). Eu e o Breno fomos na frente e mais descansamos do que andamos. Os degraus são irregulares, tem hora que temos degraus de apenas uns 5 cm e em seguida vem um degrau que é preciso apoiar com a mão para conseguir subir. Sendo assim: nada de nojinho. Você vai se sujar, se estrumbicar e não tem nada que você pode fazer quanto a isso. O melhor é levar um lenço para limpar o suor do rosto e lencinhos umidecidos para limpar a mão.
Mônica

A Mônica que me acompanha desde um ano de idade também tá na China.


Mas voltando a escalada: fomos até o topo, que fica a 1015 metros do nível do mar. A vista é linda, não é todo mundo que chega lá em cima, mas compensa. Quase no topo tem uma torre de vigília tomada por vendedores – camisetas, água, coca (eba!), picolé, quadrinhos de mármore com a Muralha entalhada, entre várias outras bugigangas. E tudo que eu conseguia pensar era que aquelas pessoas fazem aquele caminho tortuoso todos os dias para chegar lá em cima e ficar vendendo coisa. Medo!
Quase no topo.

Quase no topo.

Tem mais fotos no flickr, mas eu não consegui colocar legenda nas fotos lá (para variar, problemas na internet).
E hoje estamos de saída para Xangai. Semana que vem uma nova viagem e novas aventuras aqui.
Muita saudade de todos no Brasil!

Published in: on 04/06/2010 at 6:37  Comments (2)  
Tags: , , , ,

E começou!

Pois é. Então. O www.jusantana.com é bloqueado aqui. Legal, né? Não, não é. Aliás, tudo que tem “blog” no endereço, é barrado.

Medinho, sei lá. Twitter, Facebook, YouTube… Tudo bloqueado.

Mas o que interessa é que acabei de descobrir que o wordpress.com não é!!!

Então… Bem vindos ao novo Diário de Aventuras e Desventuras na China.

Vou me esforçar ao máximo pra trazer minhas percepções para cá.

E fotos também. Muitas e muitas fotos. Afinal, uma imagem ainda vale mais do que mil palavras.

Falando nisso… Tá aí a ultima foto em solo brasileiro, já dentro do avião.

A última foto...

Dentro do avião já, mas ainda em solo brasileiro.

Published in: on 02/04/2010 at 5:55  Comments (4)  
Tags: , ,